Marvel altera codinome racista de um dos personagens dos X-Men



Com sua nova política de inclusão, o codinome racista de um dos seus personagens era um problema, ainda mais agora com ele em evidência nos X-Men.


Durante anos, um tema central recorrente entre os quadrinhos dos X-Men tem sido a aceitação e o tratamento correto de pessoas que devemos usar ao referenciarmos orientações sexuais, grupos sociais ou etnias. Criados pela lendária equipe de Stan Lee e Jack Kirby durante o Movimento dos Direitos Civis, os X-Men têm sido consistentemente descritos como um grupo de mutantes que são odiados pelo mundo em que vivem, mas que continuamente se esforçam para criar um futuro onde serão aceitos e livres das restrições do preconceito e da intolerância.

Mas, anos depois de sua criação, um personagem foi introduzido no mundo dos X-Men cujo próprio nome era uma lembrança mal concebida do racismo e dos horrores da guerra. O vilão – ou podemos chamar de anti-herói, mediante seus recentes feitos em Krakoa – John Greycrow foi apresentado em UNCANNY X-MEN #210 de Chris Claremont e John Romita Jr. em 1986 como um membro do grupo de assassinos mercenários do Senhor Sinistro conhecido como Carrascos.


Este nativo americano de descendência não especificada usou seu poder mutante para alterar e reconfigurar máquinas durante o “Massacre de Mutantes”, uma história brutal onde os Carrascos massacraram uma grande parte da população dos Morlocks que moravam nos esgotos. Durante este tempo, Greycrow adotou o codinome de Caçador de Escalpos (do inglês Scalphunter), que permaneceu como tal por muitos anos. No entanto em SATÂNICOS (2020) #2, a Marvel aparentemente havia retirado esse codinome e começou a se referir ao personagem como Greycrow.

TERMO-RACISTA-NOS-X-MEN-MARVEL-2

Mas a “confirmação” de fato se deu na edição #5 de SATÂNICOS, que além de apresentar o personagem novamente como Greycrow na contracapa, ele ainda se corrige durante a edição dizendo que agora esse será seu nome.


⊗ A PROBLEMÁTICA RACISTA DO CAÇADOR DE ESCALPOS
TERMO-RACISTA-NOS-X-MEN-MARVEL-3

O termo “escalpelamento” se refere à prática de cortar o topo da cabeça de uma pessoa – o couro cabeludo, que tradicionalmente era feito em inimigos que eram derrotados durante o combate. Embora a prática não tenha se originado na América, sabe-se que existia na época da Fronteira Americana, e os “caçadores de couro cabeludo” eram guerreiros que pegavam o couro cabeludo de seus inimigos e vítimas como troféus.

Enquanto as tribos nativas americanas se engajavam no ritual, a prática também era amplamente usada contra os nativos americanos pelos colonizadores europeus e seus descendentes, que geralmente investia em grandes recompensas pelos escalpos. Em ambos os contextos, a implicação em atribuir o nome a um personagem nativo americano moderno – especialmente um violento – é muito racista e ainda atrapalha na aceitação desse grupo que até hoje é muito marginalizado.

A DC que também tinha um personagens chamado de Caçador de Escalpos, há algum retirou esse codinome de suas histórias e passou a chamar o seu herói apenas como Kiowa. E apesar de Greycrow ser o sobrenome do personagem (seu nome é John Greycrow), como a Panini tem feito a tradução das histórias, não sabemos se irão deixar apenas Greycrow mesmo ou se irão traduzir o seu sobrenome como um codinome – talvez Corvo Cinzento?

TERMO-RACISTA-NOS-X-MEN-MARVEL-1


Apesar de no passado Greycrow ter sido um vilão extremamente cruel para os mutantes, em Krakoa ele apresenta ter mudado de postura afim de contribuir para a raça mutante como todos os mutantes tem feito.

Mas e então leitores, gostaram da mudança de codinome? Principalmente para os X-Men essas mudanças são extremamente importante e super bem vindas, porque só exemplifica a real mensagem que tanto a equipe quanto a empresa querem passar: a aceitação!

E caso nos não siga, acesse nosso INSTAGRAM e fique por dentro de todas as notícias a respeito dos mutantes!

FONTE: CBR