As 10 melhores trilhas sonoras dos filmes dos X-Men



A franquia X-Men no cinema tem seus altos e baixos com filmes amados e outros nem tanto, ainda assim, há uma coisa que é destaque positivo em todos eles sem exceção: a trilha sonora. Mesmo aqueles considerados os piores filmes dos mutantes possuem pelo menos uma faixa de tirar o fôlego em sua trilha sonora. Pensando nisso, o Universo X-Men separou aquelas que consideramos as 10 melhores faixas das trilhas sonoras dos filmes.


É importante ressaltar que essa lista não é um ranking. As posições das faixas selecionadas estarão na ordem de lançamento dos filmes dos mutantes.

⊗ 1. Logan and Rogue – X-Men: O Filme
  • Composição: Michal Kamen
  • Ano: 2000
  • Gravadora: Decca Records

Comparada a trilha sonora de grande parte dos outros filmes dos mutantes, a trilha sonora de X-Men: O Filme não é tão grandiosa ou tão memorável. Ainda assim, há uma faixa que se destaca tanto pela sua beleza, quanto por sua emoção e essa é a trilha “Logan and Rogue”. A cena onde ouvimos a trilha acontece no topo da Estátua da Liberdade no final do filme. Magneto coloca Vampira em uma máquina para drenar seus poderes e transformar os líderes mundiais em mutantes. Isso faz com que a mutante fique tão esgotada que ela tem uma parada cardíaca. Wolverine então, desesperado, arrisca sua própria vida para que Vampira drene sua energia vital para sobreviver.

Enquanto Logan não tem certeza da morte da companheira, a trilha apresentada se inicia com suaves melodias de violino e piano, dando um clima triste triste, logo após o mutante perceber que Vampira não estava viva, a música entra em um crescendo para climax (1:31) deixando ela muito mais emocionante, evocando toda a jornada dos personagens estabelecida brilhantemente por Hugh Jackman e Anna Paquin que possuem muita química juntos em cena. É uma trilha muito bonita.


⊗ 2. Suite – X-Men 2
  • Composição: John Ottman
  • Ano: 2003
  • Gravadora: Trauma Records

X-Men 2 é considerado por muitos fãs o melhor filme dos mutantes já feito (pelo menos até então). Combinado de cenas impactantes, um roteiro excelente, personagens cativantes e é claro uma boa trilha sonora, o filme permanece no imaginário dos fãs mesmo após quase 20 anos de seu lançamento. Uma faixa em específico ajudou fortemente a estabelecer esse amor dos fãs pelo longa, e essa é suite, a música de abertura dos filmes dos X-Men dirigidos por Bryan Singer.

É difícil dizer que uma trilha sonora em um filme dos mutantes poderia rivalizar com a trilha clássica de X-Men: A Série Animada, mas John Ottman conseguiu operar quase um milagre. A trilha orquestral que começa lenta apenas com cordas mas rapidamente vai para um crescendo em menos de 30 segundos, com instrumentos de sopro adicionados que fazem qualquer fã imediatamente reconhecerem a melodia (0:45) de tão épica. Vale lembrar que em X-Men Dias de um Futuro Esquecido e Apocalipse essa mesma trilha volta, mas com melodias que se encaixam melhor nos climas de seus respectivos filmes.


⊗ 3. Phoenix Rises – X-Men: O Confronto Final
  • Composição: John Powell
  • Ano: 2006
  • Gravadora: Varèse Sarabande

Diga o que quiser sobre X-Men: O Confronto Final, mas você não pode negar o quão grandiosa foi a trilha sonora do longa metragem. Uma dentre as faixas que mais se destacaram não poderia ser nenhuma menos do que a trilha da própria Fênix Negra. Tocada nos momentos do auge da força Fênix dominando a mente de Jean Grey, essa faixa faz com que seja fácil perceber quão poderosa a mutante é, mesmo que não estejamos vendo no filme.

Diferente das trilhas anteriores, essa música parece começar já em seu clímax com corais em vocalize indicando urgência e perigo. A canção permanece assim por 2 minutos e meio, até que somos surpreendidos com o verdadeiro clímax que traz uma melodia em cordas que automaticamente nos faz lembrar da cena em câmera lenta onde a Fênix mata o Professor X (2:29). Essa trilha é tão épica, que se esse fosse um ranking, Phoenix Rises estaria facilmente no top 3 das melhores faixas já tocadas em um filme dos X-Men.


⊗ 4. Logan Through Time – X-Men Origens: Wolverine
  • Composição: Harry Gregson-Williams
  • Ano: 2009
  • Gravadora: Varèse Sarabande

X-Men Origens: Wolverine é considerado por muitos o pior filme dos X-Men já lançado, no entanto, há um ponto extremamente positivo no longa, sua cena de abertura e créditos. A cena mostra Logan e Victor Creed lutando em diversas guerras em diferentes momentos da história com uma fotografia impecável, enquanto Creed aos poucos se torna o violento Dentes de Sabre que conhecemos. Essa cena é embalada pela trilha Logan Throug Time.

Uma trilha que se inicia lenta, mas que aos poucos vai num crescendo mostrando a urgência que só inúmeras guerras podem mostrar, alternando momentos de vocalize e sopro com cordas e percussão, com seu decorrer a trilha vai de um épico até chegar em momentos mais metálicos sem nunca perder a celeridade.


⊗ 5. Frankenstein Monster/Magneto – X-Men: Primeira Classe
  • Composição: Hery Jackman
  • Ano: 2011
  • Gravadora: Sony Classical Records

Embora X-Men: Primeira Classe esteja entre os filmes favoritos do público, sua trilha sonora no geral não é muito lembrada pela maioria. Ainda assim, é possível dizer que ela possui muitos pontos positivos, e um deles são as trilhas focadas em Magneto: Pain and Anger, Frankenstein Monster e Magneto (essas duas últimas sendo uma a versão mais lenta e outra a versão mais pesada da mesma faixa). Essas três trilhas somadas a faixa “X-Men” são tão complementares, que há uma versão delas todas em uma única faixa. No entanto, não sendo possível colocar todas, escolhemos aquelas que são 2 em 1.

Frankenstein Monster se inicia com um toque aparentemente de violão e tem um tom mais sereno a princípio, trazendo todo o mistério de Magneto, mas com o decorrer da canção, ela se torna mais tensa com o acréscimo de violinos. É a faixa tocada tanto na cena do bar, quanto na inesquecível cena onde Magneto assassina Sebastian Shaw utilizando uma moeda. “Magneto” trata-se de uma outra versão da mesma faixa mas tocada apenas nos créditos, ela tem um tom industrial com alternações entre instrumentos de corda e sopro acompanhados de bateria e baixo que simulam uma distorção de rádio antigo. Não poderiam haver faixas melhores para representar o Magneto de Michael Fassbender.


⊗ 6. The Attack Begins – X-Men: Dias de um Futuro Esquecido
  • Composição: John Ottman
  • Ano: 2014
  • Gravadora: Sony Classical Records

Quem assistiu X-Men: Dias de um Futuro Esquecido em casa definitivamente sabe quão aterrorizantes são as Sentinelas do futuro. No entanto, quem assistiu ao filme no cinema sabe o quanto as trilhas tocadas nas cenas do futuro em volume alto faziam de tudo ainda mais imersivo. A trilha sonora de Dias de um Futuro Esquecido é espetacular, as batalhas no futuro possuem trilhas complementares como: “Time’s up”, com a primeira aparição dos portais de Blink: “Do What You Were Made For”, com o inesquecível efeito de susto na morte da Tempestade) e também “The Attack Begins”, a escolhida para representar as cenas do futuro nessa lista.

Essa trilha orquestral traz elementos de percussão e corda combinados com vocais épicos e densos. Ao escutar apenas o início dessa faixa, automaticamente é possível visualizar a Tempestade de Halle Berry conjurando os ventos para voar e logo em seguida comandá-los para atrasar os contêineres transportadores de Sentinelas. Mais para frente (1:22), é fácil recordar do combo entre Magneto (Ian McKellen) e Tempestade, quando eles explodem o Pássaro Negro para destruir o maior número de inimigos possíveis. Essa trilha traz a urgência e o pânico que deve ser enfrentar inimigos invencíveis.


⊗ 7. Hope – X-Men: Dias de um Futuro Esquecido
  • Composição: John Ottman
  • Ano: 2014
  • Gravadora: Sony Classical Records

Se por um lado John Ottman soube muito bem trazer a urgência e o pânico que o futuro distópico que X-Men: Dias de um Futuro Esquecido precisava, por outro, ele também soube muito bem manejar o lado esperançoso que só Charles Xaier poderia mostrar, e para isso tivemos a faixa do personagem, “Hope”.

Essa faixa não é tão complexa ou densa quanto a maioria das faixas do filme, ela é simples e leve, trazendo suaves sons de violino e piano, com batidas de percussão que só estão ali para conduzir o ritmo. Essa faixa está presente em momentos chaves do filme um dele é o encontro entre Charles Xavier do Passado e o Professor X do Futuro, com a icônica frase: “Só porque alguém tropeça e perde seu caminho, isso não significa que estão perdidos para sempre“. Outro, é aquela que fez muita gente chorar no cinema, quando Wolverine acorda no futuro alterado e todos os X-Men estão vivos e bem. É por isso que essa faixa é tão importante.


⊗ 8. The Transference – X-Men: Apocalipse

X-Men: Apocalipse é um filme que dividiu tanto a crítica quanto o público, muitas pessoas gostaram, muitas outras odiaram. Embora seja inegável que o filme tenha muitos defeitos, também é fácil apontar que o longa também possui diversas qualidades. John Ottman assim como no filme anterior, fez bem o seu trabalho e isso faz da trilha sonora um dos pontos fortes do filme e somada acena de abertura, ela é de cair o queixo.

The Transference tem forte presença de percussão, instrumentos de sopro e os vocais que nos levam ao Egito antigo. Logo no seu início é fácil lembrar da primeira aparição de Apocalipse junto de seus 4 Cavaleiros, todos utilizando máscaras de deuses, se preparando para a transferência da mente do velho corpo para um mais jovem. A cena decorre e temos todo o momento da traição, os 4 Cavaleiros lutando para proteger seu mestre, até o momento do mutante ancestral hibernar, essa trilha sonora torna tudo ainda mais épico.


  • Composição: John Ottman
  • Ano: 2016
  • Gravadora: Sony Classical Records
⊗ 9. Beethoven Havok – X-Men: Apocalipse
  • Composição: ludwig van beethoven e John Ottman
  • Ano: 2016
  • Gravadora: Sony Classical Records

Se a trilha sonora de X-Men: Apocalipse é um ponto forte, nada mais justo do que colocar mais uma faixa do filme dessa lista. Nessa trilha, John Ottman não fez todo o trabalho sozinho, pois ele teve uma ajudinha vinda lá do século 19. Ottman utilizou o segundo andamento da 7ª sinfonia de Beethoven chamado Allegretto, para compor sua trilha.

A faixa se inicia apenas parecendo uma versão atualizada da obra original, utilizando apenas cordas para compor sua melodia inicial, sendo depois acompanhada dos instrumentos de sopro, no entanto, na metade da música (1:23) é onde entra o trabalho de Ottman, com a adição de vocais e percussão que elevam a faixa para um local mais épico do que clássico. Essa é uma das poucas cenas do filme em que independentemente da caracterização, Apocalipse ficou realmente intimidante. “Você pode disparar suas flechas da Torre de Babel, mas você nunca pode atacar Deus!


⊗ 10. Frameshift – X-Men: Fênix Negra
>
  • Composição: Hans Zimmer
  • Ano: 2019
  • Gravadora: Hollywood Records

Quando os fãs ficaram sabendo que o todo poderoso Hans Zimmer faria a trilha sonora de X-Men: Fênix Negra, o que ficou na cabeça de muitos é que pelo menos a trilha sonora não decepcionaria, e esse pensamento se provou correto para muitos, pois há quem diga que esse é o único ponto positivo do filme. Concordando com essa opinião ou não, acho que o que todos concordam é que a faixa “Frameshift” é uma das, se não a melhor de todo o longa.

Frameshift e Deletion são as faixas que tocam quando os momentos mais tensos da Fênix Negra estão acontecendo, em Deletion temos o momento em que a Fênix Negra humilha Magneto destruindo seu capacete e o ferindo gravemente. Frameshift por outro lado, é uma canção que passa quatro minutos variando entre um tom suave e outros mais densos, até chegar no clímax feito com guitarra e vocalizes que trazem urgência e gravidade para canção. Esse clímax acontece justamente na cena da batalha na casa dos Grey, onde os X-Men atacam Jean, Tempestade solta um raio em sua direção e Mercúrio deixa tudo em câmera lenta, todo clima de tensão é algo muito comum nas faixas de Hans Zimmer que consegue mexer com as emoções do público.


Chegamos ao final da lista, você concorda com ela? Há alguma faixa que você acredita que ficou faltando no top 10? Diga o que pensa nos comentários.