Os incríveis uniformes de Alex Ross para os X-Men no cinema!

Share Button
     
A2

Alex Ross é um ilustrador americano de histórias em quadrinhos que já trabalhou tanto para a DC quanto para a Marvel Comics. Os trabalhos de Ross são bastante conhecidos e elogiados por conta do seu realismo.

Alguns trabalhos de Alex Ross

Alguns trabalhos de Alex Ross

Durante os anos 90 os filmes de super-heróis perderam a credibilidade e passaram a ser vistos com desdenho por conta de Batman Eternamente (1994) e Batman e Robin (1997). Porém, na mesma década outras adaptações de quadrinhos foram bem recebidas pelo público por apresentarem uma história mais séria, como Blade: O Caçador de Vampiros  (1998) e Matrix (1999).

A identidade visual mais séria e sombria apresentada nesses filmes influenciaram na criação de X-Men: O Filme em 2000. E essa influência pode ser claramente percebida nos uniformes padrão em couro preto. Os uniformes foram uma solução inteligente para a época e trouxeram credibilidade para o filme, que foi muito bem recebido pela crítica e pelo público. Porém, ainda hoje a falta de cor nos uniformes é algo bastante criticado pelos fãs da equipe. Entretanto, os uniformes do cinema poderiam ter sido bastante diferentes dos que conhecemos.

Quando a ideia de fazer um filme sobre os X-Men foi anunciada durante os anos 90, Alex Ross criou artes conceituais de uniformes para os filmes e foi recusado. Na mesma época ele criou uniformes para uma fase dos X-Men nas HQs e também foi barrado.  Abaixo você confere a visão que ele teve pros uniformes e os detalhes que ele pensou para cada um dos personagens e uniformes.

 

Aqui está a proposta básica: Tentei conceber um conceito de visual clássico, a influência no filme e as minhas tendências clássicas de vestuário: sobretudos longos.  Não como no caso de Gambit, mas sim como uma forma de harmonização em todos os visuais.

Manter vivo o estilo de super-herói foi a minha maior preocupação com os personagens. A ideia é que eles podem facilmente conseguir um visual mais super-heroico se eles optarem por tirarem seus sobretudos.

A grande pegada é no estilo do Destrutor de Neal Adams! Preto sem destaque ou qualquer outro detalhe.com o objetivo de alinhar com as cores que definem cada personagem individualmente

 

C1

 

 

WOLVERINE:

A máscara de Wolverine sempre esteve presente, mas você precisa fazer uma escolha para usá-la. Uma desculpa para manter a máscara pode ser bastante simples, como dizer que ela possui efeitos extra sensoriais, como visão infravermelho, ou então, audição aguçada.

Aqui está o começo do grande X presente em todos os uniformes. Transformei  o uniforme do Wolverine em um roupão de peça única predominante na cor preta, porém, mais identificável pelos detalhes na forma de estampa de tigre.

A funcionalidade desses uniformes não pode ser simplória. Luvas de borracha destacáveis e um ziper visível na parte da frente (onde você consegue alcançar) fazem com que estes uniformes pareçam realistas acima de qualquer coisa.

A mistura de laranja nesse traje preto simples parece mais efetivo para trazer a natureza de “lobisomem” do Wolverine, além de auxiliar na ocultação, ele se esconderia nas sombras melhor do que nunca.

Não tenho ideia de como dar a Logan um uniforme que se parecesse com roupas de rua. O seu visual clássico não pode ser comprometido por um capuz ou uma jaqueta curta (eu acho). Ele funciona melhor quando transita entre os 2 de forma individual.

 

C2

 

ANJO:

Anjo teria muito o que cobrir se ele tentasse sair por aí com a cara azul (ele continua assim, certo?) e as malditas asas enormes. Um sobretudo londrino de dupla camada poderia cobrir muito bem, enquanto ainda pareceria algo meio assustador.

Warren perdeu muito de si, se tornando muito mais próximo de uma presença sombria com algum aspecto sagrado como um monge.

O X branco remete ao design de Neal Adams que é tão familiar ao personagem, o branco também domina até o ponto em que ele poderia se mistura com o céu em uma espécie de camuflagem.

 

NOTURNO:

Casey me diga se este cara é um padre, sacerdote ou algo do tipo agora? Pegando essa ideia e proporcionando um pouco mais de definição ao personagem eu estou dando a ele esse clássico esquema de cores.

O X em Noturno remete ao seu uniforme clássico sem incluir as ombreiras de Dave Cockrum. Como eu quis dar ao Ciclope a mistura de preto e vermelho isso exigiu que Kurt recebesse outra cor. Violeta na realidade faz até mais sentido se esse cara supostamente se desloca pelas sombras. Cores primárias brilhantes (e luvas brancas) não são muito boas pra isso. Eu também trouxe de volta para esse cara o seu cabelo contorcido, maluco e enrolado.

 

CICLOPE:

Um visor vermelho em Ciclope não seria somente uma conexão com o seu poder mas também o afirma fortemente como líder do grupo.

Uma viseira preta desenha o olhar de Ciclope e chama a atenção para o seu olho de feixe brilhante.

 

 

 

C3

 

COLOSSUS

Uma grande ideia que eu proponho para salvar Colossus: depois da morte o seu corpo aparece misteriosamente em um outro lugar do mundo, vagando como um pária, aparecendo aqui e ali como um golem sem sorte.

Sem nenhum sinal da mente de Peter a vagante criatura é como o monstro de Frankestein dos X-Men. Ao sugerir que o seu corpo é feito de aço orgânico é realmente indestrutível e ele vagava sem alma, nos traz a questão: “Os X-Men podem recuperá-la?”

 

 

HOMEM DE GELO:

Ele poderia facilmente estar vestindo preto como os outros quando não estivesse “transformado”, dando ao Bobby o visual mais descontraído dos seis. Eu não consigo ver esse cara usando um sobretudo como os outros, mas uma jaqueta curta em conjunto com o uniforme preto poderia facilmente funcionar nas ruas.

Bobby Drake pode parecer convencido, mas é exatamente isso o que ele é. Esse cara possui o uniforme mais fácil de resolver, pois ele pode mudar qualquer coisa que ele esteja usando para um branco gelado.

Ele não deveria poder tocar ninguém quando estivesse na sua forma congelada, como parte de sua condição. O chão congelaria ao redor dos seus pés. Assim como o Tocha Humana,  você não vai querer dar um abraço nesse cara. O seu poder pode ser um pouco mais volátil.

 

 

JEAN GREY:

Ela pode se juntar ao time utilizando um traje mais elegante. Eu prefiro ela com saia, fazendo referência ao seu uniforme dos anos 60. O detalhe próxima a forma do X é uma referência ao uniforme da Fênix que tinha luvas longas. E a parte verde-amarelada que junta as pernas e a saia traz altura e remete as botas de cano alto.

Um pequeno capuz engrandece Jean sem precisar dar a ela uma máscara ou alguma faixa na cabeça sem sentido. Ela poderia usar o mesmo sobretudo que Ciclope, mas eu acho que o spandex [tecido] juntamente com uma capa e uma saia trariam um toque de leveza e não deixariam ela ridicularizada. Mantenha em mente, mulheres sempre podem arriscar mais no estilo do que os homens.

O seu cabelo vermelho atravessando os cantos do capuz trazem uma sensação de mistério que se concentra na sua cabeça, o ponto focal do seu poder.

 

Não sabemos se essas artes são referentes aos uniformes barrados das HQs ou então aos rejeitados do cinema. Porém, como é possível perceber, as artes  de Alex Ross ao mesmo tempo que contém elementos em comum que unificam a equipe, também traz cores individualidade para os personagens e trazem um clima soturno e underground para a equipe, além de se encaixarem na proposta mais séria que vimos na franquia no cinema, o que nos faz acreditar na segunda opção.

Alex Ross também foi convidado para dar a sua ideia para o uniforme do Homem-Aranha nos cinemas e a sua sugestão quase foi levada para as telas do cinema, porém, Sam Raimi acabou optando pelos uniformes que conhecemos.

Comentários

  • Daniel Gonçalves de Amorim

    Lindos esses uniformes, todos muitos bem pensados e fazendo sentido na “vida real”. Especialmente o do Arcanjo, dá um ar sacro e assustador ao mesmo tempo. Como seria esse uniforme voando, é minha única dúvida.