QUADRINHOS: Entenda a polêmica política e religiosa em X-Men Dourado #1!

Share Button
X-Men-Gold-feature

Após a descoberta de mensagens sublimares polêmicas, de cunho religioso e político colocadas na recém-lançada HQ: ‘X-Men Dourado’ # 1, pelo artista da série Ardian Syaf, a Marvel emitiu uma declaração sobre a situação para ComicBook.com.

 

“A arte mencionada em ‘X-Men Dourado’ # 1 foi inserida sem conhecimento dos seus significados ocultos relatados. Essas referências implícitas não refletem as opiniões do escritor, editores ou qualquer outra pessoa na Marvel e vão contra tudo que a Marvel Comics e que os X-Men têm representado desde a sua criação. Estes trabalhos de arte serão removidos das impressões subsequentes, das versões digitais, e dos quadrinhos comerciais. Uma ação disciplinar está sendo tomada “.

 

ENTENDA O CASO:

 

No início do sábado, o caso se espalhou rapidamente pelas mídias sociais, após a descoberta de mensagens múltiplas e sutilmente colocadas em “X-Men Dourado”, que se referia a protestos contra Basuki Tjahaja Purnama, cristão e atual governador de Jacarta, a capital da Indonésia. Syaf, que é indonésio, desenhou o X-Man Colossus vestindo uma camiseta estampada com “QS 5:51“, que significa Quran Surah 5:51 – um verso do Alcorão que diz:

 

” Ó vós que credes, não tomais os judeus e os cristãos como aliados. Eles são, de fato, aliados um do outro. E quem for aliado deles, então é um deles. Na verdade, Alá não guia para as pessoas erradas. “

 

Além disso, em uma cena de grupo no início da edição, os números “212” e “51” são vistos, em uma loja e na camiseta de um civil, respectivamente. “212” refere-se a um protesto da vida real que aconteceu dia 2/12/2016, onde cerca de 200 mil indonésios marcharam contra Purnama por suposta blasfêmia contra o Alcorão durante um discurso; “51” é uma referência à passagem “QS 5:51”.

 

Desde que a discussão em torno da questão proliferou, tem sido amplamente observado que os mutantes dos X-Men têm servido como parábolas para grupos minoritários desde a sua criação em 1963 por Stan Lee e Jack Kirby, aumentando assim a inadequação de usar esses personagens para uma mensagem contra a minoria cristã e populações judaicas na Indonésia. Além disso, “X-Men Dourado” apresenta Kitty Pryde – uma personagem judia – assumindo o comando de uma equipe dos X-Men pela primeira vez em sua história, enquanto Noturno, canonicamente um católico e antigo padre, tem um papel principal.

 

Quando questionado pelos fãs sobre a inclusão dessas mensagens, Syaf respondeu em sua página no Facebook, em indonésio. Embora o Google Translate não tenha fornecido uma tradução totalmente confiável, a mensagem parece ter sido Syaf reconhecendo a natureza política das mensagens ocultas e agradecendo aos dissidentes por se envolver educadamente.

 

Atualmente, Syaf é cotado como o ilustrador do interior das quatro primeiras edições de ‘X-Men Dourado’. Os artistas RB Silva (que é brasileiro) e Ken Lashley já estão programados para participar da série, sendo Silva o artista responsável pelas edições 5 e 6 que serão lançadas em Junho. “X-Men Dourado” # 2 terá seu lançamento dia 19 de abril.

Fonte: ComicBook

Comentários

  • Daniel Gonçalves de Amorim

    Li tudo sobre essa polêmica desde ontem, quando ela surgiu e realmente concordo que é o tipo de situação que é digna de demissão por justa causa, sem mas nem meio mas. Até porque eu não acho possível que esse tipo de coisa deixe de estar presente em alguma cláusula do contrato que o artista assinou. Acredito que o editorial da Marvel tenha sido enganado sim e que irá tomar as medidas preventivas, sem os exageros que os pseudo-liberais tanto clamam, é claro.